RSS

Pintar com a alma 2 – Desenvolver a emoção


Uma das vantagens dos workshops Bob Ross, é o favorecimento da noção de conjunto que o aluno deve adquirir por forma a poder expandir os seus conhecimentos aos seus próprios temas e ideias pelo exemplo dos temas de Bob Ross. Para este objetivo é fundamental, tal como um fotógrafo, aprender que fatores o aluno deve considerar para compor na tela os diferentes elementos que pretende pintar.


É o domínio deste conjunto de fatores que distinguem uma pintura, de uma pintura interessante.

Quando escolhe o tema, deve pensar naquilo que quer transmitir: é como escrever uma poesia. Ao fazê-lo escolho e sigo um tema, não escrevo estrofes aleatórias, certo?

O que significa isto na pintura? Significa que a pintura tem um propósito e esse propósito deve transmitir ou comunicar algo, sendo que esse “algo” é em geral uma emoção humana.

A forma mais simples de fabricar emoções em tela é pela palete de cores escolhida:

Se uma paisagem de Verão pode permitir transmitir: alegria, posso optar pelas cores:
azuis celestes, verdes, combinadas com amarelo, vermelho.



Já agora, as ultimas cores podem ser usadas para transmitir raiva ou violência, em particular se as combinar com tons negros…

Pelo contrário, para transmitir melancolia, posso usar as cores: cinzas, azuis ou verdes secos e difusos.


Posso simplesmente usar essas mesmas cores e espalhar tinta numa tela, para comunicar as mesmas emoções? Bom, sim, talvez, se o intuito é a pintura abstrata ou impressionista por exemplo. O grau de representação dos objetos pintados vão distinguir uma pintura do tipo abstrato (sem qualquer semelhança) da pintura realista (muitos pormenores considerados).

Mesmo na pintura abstrata o interesse pode passar simplesmente pela sugestão de um objeto ou tema (cores) em particular.

Muitas vezes sugerir um tema, uma forma ou objeto de forma imprecisa é por si só o pólo de interesse de uma pintura: o observador pensa olha e pensa… Será uma pessoa que espreita? Será uma sombra?

A composição de objeto(s) e/ou cores transmitem a cena ou tema que quero comunicar (de forma emotiva) e pode permitir distinguir uma pintura normal de uma pintura interessante, por exemplo:

·         Uma pintura que transmite paz: uma floresta em que predomina o verde.
Mais interessante (e maior intensidade da mesma emoção) pode ser:
1.      Na mesma pintura, incluo ou sugiro um animal a alimentar-se.
2.      Um abstrato apenas com tons verdes dispostos de tal forma que dá a ilusão de estar a expandir.

Outro exemplo:
·         Uma pintura que transmite tristeza: nuvens cinzentas.
Uma pintura que transmite tristeza com fator de interesse majorado:

1.      Na mesma pintura naturista: incluo árvores sem folhas.
2.      Um tema com menor realismo: apenas uma árvore sem folhas e dobrada (indica queda) sobre um fundo cinzento sem formas definidas.

Por aí adiante. Use a sua imaginação e consulte exemplos, seja de pinturas ou de fotografias.

Assim é fundamental numa pintura:
  1.  representar ou sugerir objetos
  2. os objetos representados ou sugeridos são escolhidos para transmitir uma emoção humana.


  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

2 comentários:

Anónimo disse...

As pinturas de Bob Ross são muito giras, mas eu gostaria de pintar paisagens portuguesas. É possivel?

BlueGrace disse...

Sim claro! Não só possivel mas também desejável, pois temos paisagens fantásticas em Portugal.

Vejam o exemplo seguinte de temas pintura propostos pela escola: http://pintar-oleo.blogspot.pt/2012/02/pintar-portugal-com-bob-ross-o-alentejo.html

Boas pinturas!